Você está satisfeito com o "seu mundo"?

Desde que comecei a viagem aqui na Europa, vira e mexe me pego lembrando e refletindo sobre situações que estou vivendo por aqui.



Uma delas, que me marcou bastante, foi na Suíça. Fiquei hospedada na casa de uns amigos que vivem em Basel, e meu marido e eu tiramos um dia para conhecer uma cidade próxima chamada Berna.


Acordamos cedo e pegamos o trem para essa cidade medieval.


Chegamos lá estava uma garoa fina e um frio de bater o queixo. Compramos um café no Mc Donald´s próximo à estação de trem, colocamos nossas capas de chuva e seguimos em direção ao centro.


A cidade é linda, medieval e como bons turistas estávamos olhando para todos os lados, foi quando um senhor de aproximadamente uns 65 anos de idade nos abordou falando em alemão. Não entendemos o que ele estava falando e então ele nos perguntou em espanhol de onde éramos, falamos que éramos brasileiros e ele imediatamente mudou a língua para português, com sotaque de Portugal.


Elogiou nossas capas de chuvas e perguntou onde compramos, respondemos que havia sido na Decatholon do Brasil.


Estávamos em frente a um prédio muito bonito, Berner GenerationenHaus, ele nos chamou para conhecer o local, aceitamos o convite e ele nos conduziu a um belo jardim.


O local tinha uma arquitetura linda e ele nos explicou que se tratava de um centro público que por muitos anos era somente uma casa de repouso para idosos e poucos anos atrás abriu suas portas também para os moradores da cidade exercerem diversas atividades. Fiquei maravilhada, um lugar tão lindo, tranquilo e com um propósito maravilhoso.


Depois de nos apresentar o local ele foi conosco até a porta de saída e começou a falar do país que ele vive. Disse que a Suíça está violenta, muitos furtos, que os salários são baixos, que as pessoas não são unidas e algumas outras coisinhas mais. Nós escutamos sua declaração e nos mantivemos em silêncio.


Nos despedimos e seguimos o nosso caminho por aquela cidade encantadora.


No entanto o Sr. Silva ficou na minha cabeça e me levantou alguns questionamentos.


- Você está satisfeito com o "seu mundo"?


- O que nos faz feliz?


- Como podemos fazer para ser agentes de transformação na nossa comunidade?


- Do que o mundo precisa?


Me conte, quais são suas respostas para os questionamentos acima. 😊